top of page

O Sequestro da subjetividade




Em algum momento na vida, todos nós, em certa medida, já nos sentimos roubados de nós mesmos!

Nenhuma relação humana está privada de se transformar em roubo, perda de identidade, ainda que as pessoas nos pareçam bem-intencionadas. Um só descuido e as relações podem evoluir para essa violência silenciosa.

Para isso, basta que deixemos de olhar para os nossos referenciais, e passar a ser comandados pelas coisas ou pessoas que nos rodeiam, esquecendo das nossas subjetividades, de quem realmente somos!

Minha indicação de hoje traz uma reflexão importante sobre o quanto nossa carência excessiva pode nos submeter a relacionamentos que nos machucam e nos privam de exercermos a nossa própria personalidade.

Quantas vezes você já se viu nessa situação?

Vivendo uma vida vazia de sentido, atendendo a expectativas alheias, aceitando condições impostas pelos outros e, quando se deu conta, já não sabia quem era?

Esse livro faz uma analogia entre o sequestro do corpo físico com a privação que podemos submeter a nossa própria mente. O quanto podemos renunciar à nossa identidade e aceitar silenciosamente o roubo de nós mesmos. Tudo isso em nome de um amor, uma amizade ou até mesmo de um emprego.

Mas saiba que nunca é tarde para o resgate! O preço pode ser a dor da ruptura de um vínculo, mesmo que este nos machuque, mas a recompensa sempre será a liberdade e o prazer de recuperarmos a nossa essência! #terapiaonline #relacionamento #relacionamentoabusivo




41 visualizações0 comentário
bottom of page